Ex-presidente do Atlético, tendo sido campeão da Copa Libertadores de 2013, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, avalia que é muito precoce ainda falar em volta dos jogos de futebol neste momento de pandemia.

"Futebol vai demorar mais (a voltar). Quem conhece de futebol, sabe. Mesmo para ter um jogo sem público, haverá uma aglomeração de 300 pessoas no vestiário", analisa Kalil, em entrevista à jornalista mineira Leda Nagle, na tarde desta quinta-feira (11), no Instagram oficial da apresentadora.

Veja a entrevista, na íntegra, abaixo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Belo Horizonte : a retomada está a pleno vapor

Uma publicação compartilhada por Leda Nagle (@ledanagleoficial) em

"Não dá para brincar de futebol. Digo e repito: o futebol é a coisa mais importante das menos importantes. Futebol e cultura serão os grandes sacrificados", observou o chefe do Executivo municipal.

Kalil prefere não estipular datas. "Quem fala em data é astrólogo. Médico não fala (em data). Não sei se daqui a 15 dias vou ter que recuar. É uma guerra e, como toda guerra, a estratégia muda toda hora. Ela é muito dinâmica", assinala.

Candidato à reeleição para a Prefeitura de Belo Horizonte, Kalil afirma que "é muito melhor e dá menos trabalho" ser prefeito do que presidente do Atlético. "Foi um gostoso, foi um trabalho legal (ser prefeito). Tirando janeiro (quando BH foi castigada por fortes chuvas), foi bom".