Pacientes com Covid-19 de outros estados, que enfrentam colapso no sistema de saúde por conta da pandemia, já buscam socorro em Belo Horizonte. De acordo com o prefeito Alexandre Kalil, durante coletiva na tarde desta terça-feira (5), pelo menos cinco pessoas do Pará estão internadas em um hospital privado na capital.

Mas, segundo uma fonte ligada à unidades de saúde particulares, o número pode ser bem maior. Há, inclusive, doentes que vieram de Manaus (AM). “São pessoas que têm dinheiro. Veem que onde vivem está um caos, sem condições de assistência médica, e pegam um avião para onde a situação ainda é tranquila”, disse o médico que pediu para não ser identificado.

O cenário preocupa, afirma Alexandre Kalil. “É claro que temos que olhar isso se essa onda continuar. Agora, o que não podemos fazer hoje é omissão de socorro. Se tem lugar, tem que colocar. Se vem do Pará, do Amazonas ou do Rio é vida humana, e não temos como colocar num avião de volta (para as cidades de origem)”, disse.

Ocupação de leitos

Belo Horizonte tem ocupados 46% dos leitos de terapia exclusivos de Covid-19. A taxa nos de enfermaria chega a 52%.

Há, ainda, uma preocupação em relação às cidades das regiões metropolitana e Central. Pacto entre a capital e 85 municípios prevê o atendimento médico na metrópole.

Conforme o Hoje em Dia mostrou na edição de 3 de abril, cerca de 25% da assistência de média e alta complexidades em BH referem-se a pacientes de outras localidades. Porém, em época de picos de doenças, como foi com a dengue em 2019, a demanda chega a 40%.

Leia Mais:
Com mais 600 mortes em apenas um dia, óbitos por coronavírus chegam a quase oito mil no Brasil
Operação contra produção clandestina de álcool em gel apreende quase 1,7 mil litros do produto em BH
Cerca de 2 milhões sem conta ainda não resgataram auxílio de R$ 600