O Ministério da Saúde passa a permitir, a partir desta segunda-feira (23), a retirada com prazo e quantidade maior de medicamentos da Farmácia Popular e com procuração facilitada. As medidas, que também valem para as drogarias credenciadas ao programa "Aqui Tem Farmácia Popular", foram tomadas em caráter excepcional e temporário com o objetivo de diminuir a circulação de pessoas e, assim, evitar maior exposição ao coronavírus.

Antes da decisão, o paciente retirava remédios para uso durante um mês, o que fazia o interessado ir à farmácia mensalmente. Com a mudança, o contemplado poderá retirar, em um único atendimento, o quantitativo suficiente para realizar o tratamento por até 90 dias, ficando dispensados de voltar à farmácia por até três meses.

Segundo o Ministério da Saúde, essa alteração é válida para todos os medicamentos e correlatos ofertados pelo programa, incluindo as fraldas geriátricas.  

Procuração facilitada

Outra alteração importante foi a flexibilização do programa quanto à comprovação de representação legal para pacientes impedidos de ir pessoalmente às farmácias credenciadas. A partir desta segunda, para aqueles pacientes que ainda não possuem a procuração, excepcionalmente enquanto durar a situação de emergência em saúde pública decorrente do coronavírus, não será exigido o reconhecimento de firma em cartório.

A pasta recomenda que o paciente siga o modelo de procuração, disponibilizado neste link. "Cabe ressaltar que poderá ser apresentado qualquer modelo de procuração, desde que constem todas as informações previstas no modelo disponibilizado pelo Ministério da Saúde", informou a pasta, em nota.

Leia mais:
Plataforma registra doações no combate à pandemia de coronavírus
Covid-19: TSE divulga informações sobre atendimento especial a eleitor
China luta para conter aumento de casos importados de coronavírus