A restrição na captação de água nos 43 municípios mineiros atendidos pelo rio das Velhas vai até 15 de novembro. De acordo com o Igam, o decreto se deu pela vazão no manancial ter ficado abaixo de 10 metros cúbicos por segundo. O índice é considerado crítico quando anotado sete dias consecutivos. A situação foi verificada entre Santo Hipólito, na região Central, e Pirapora, no Norte do Estado.

Diretora-geral do Igam, Marília Melo se pronunciou por meio de nota enviada pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema). “Minas Gerais está passando por um período de estiagem prolongado. A decretação de escassez, determinada pelo Igam, é uma medida preventiva que busca a segurança hídrica, para manutenção de todos os usos”.

Ainda conforme o comunicado, a redução “na utilização da água outorgada, não implica, necessariamente, na redução do fornecimento de água para os moradores dos municípios”. Segundo Igam, essa decisão caberá à prestadora do serviço. A Copasa não se pronunciou até o fechamento desta edição.

O que pode aliviar o problema seria a ocorrência de chuva. Segundo o meteorologista Heriberto dos Anjos, do GeoClima, precipitações estão previstas entre os dias 25 e 30. “Essa situação não ocorre em algumas localidades de BH há mais de cem dias. Mas a partir da próxima semana, aumentam as chances”, diz.

Leia Mais:

Captação no rio das Velhas reduzida em 14 cidades da Grande BH; especialistas temem racionamento