Um investigador da Polícia Civil foi preso nesta terça-feira (3) por suspeita de prática dos crimes de corrupção e associação criminosa durante o trabalho na Delegacia Regional de Ubá, na Zona da Mata. Um advogado e uma ex-estagiária foram presos durante a operação, chamada de Patmos, realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e pela Corregedoria da Polícia Civil.

A operação também tentou cumprir um mandado de prisão para um delegado, que estava de férias, de acordo com a Polícia Civil. A corporação recebeu da Polícia Civil do Rio de Janeiro a informação de que o delegado investigado morreu em um túnel na Linha Amarela, na capital daquele estado, na manhã desta terça. Há uma suspeita de que o homem tenha cometido suicídio, mas a PCMG informa que aguarda exames periciais para confirmar essa hipótese.

Outras pessoas, entre agentes públicos e outros profissionais, continuam sendo investigados. De acordo com o MPMG, há indícios de que os investigados tenham agido com o objetivo de praticar os crimes de tráfico e associação, peculato e corrupção passiva.