Uma das principais rodovias que cortam a região Centro-Oeste de Minas Gerais, a BR-354, receberá sete novo radares dentro de 60 dias. A informação foi divulgada pelo deputado federal Mauro Lopes (MDB-MG), durante audiência pública da Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nessa segunda-feira (8).

Ainda de acordo com a Casa, os equipamentos de fiscalização serão instalados no trecho entre as cidades de Perdões e Formiga, região que foi objeto da audiência. Foi definido que um radar ficará em Cana Verde, outro em Perdões, dois em Candeias e três em Campo Belo. Durante a audiência, o parlamentar mineiro salientou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou atrás da decisão de não permitir novos radares e autorizou a medida, após reunião com o Ministério Público Federal (MPF).

“O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) está com os contratos feitos”, reforçou Lopes. Com grande experiência na área, o deputado acrescentou que a BR-354 tem traçado antigo e defeitos técnicos, como curvas que projetam os veículos para fora, sem que haja uma área de segurança (suplementação). “Ela precisa também, além dos radares, de balança para conter o tráfego de caminhões com excesso de peso. Esses caminhões causam exsudação na pista, uma ondulação que pode ocasionar o descontrole da direção”, acrescentou.

Conservação da via

Ainda durante a audiência, o superintendente regional do Dnit em Minas, Danilo de Sá Viana Rezende, anunciou que já foi homologado o edital de conservação de rotina desse trecho da BR-354. No valor de R$ 9,6 milhões, a contratação está prevista para daqui a 15 dias. O trabalho inclui a capina e eventual tapa buraco.

Apesar das novidades, os prefeitos da região não ficaram satisfeitos, demandando, por exemplo, a reforma da pista com piso mais aderente e ajustes para escoamento de água; implantação de terceira faixa e acostamento, além da sinalização de pontos críticos.

Segundo Alisson de Assis Carvalho, prefeito de Campo Belo, os problemas são crônicos no trecho em questão, tendo sido agravados pelo aumento do número de caminhões que fogem dos pedágios na Rodovia Fernão Dias. Ele apresentou dados de acidentes, levantados pela prefeitura e pela Polícia Rodoviária do Estado.

Entre janeiro de 2018 e 10 de junho de 2019, foram registrados 172 acidentes no trecho, com 26 vítimas fatais, além de outras gravemente feridas das quais não se tem notícia sobre a recuperação ou óbito. Os números de atendimentos dos Bombeiros em 2019 já supera os 24 atendimentos feitos em todo o ano de 2018. E nos últimos cinco anos, o número de acidentes aumentou 81%.

Deputado perdeu sobrinha na BR

Autor do pedido de audiência, o deputado Duarte Bechir (PSD) relatou que perdeu uma sobrinha há alguns meses, próximo a Campo Belo, após um caminhão carregado de pedras aquaplanar e despejar a carga sobre o carro onde ela estava. Ainda segundo ele, o levantamento aponta como principais causas dos acidentes a velocidade incompatível com o local, além de aquaplanagem e derrapagem. 

O superintendente do Dnit detalhou que o trecho de 94,8 quilômetros entre Perdões e Formiga tem média de 4.500 veículos/dia, considerada grande. É alto também, segundo ele, o índice de composições pesadas, como os chamados bitrens. “Ela liga importantes vias como as BR-262, a MG-050 e a BR-381”, justificou.

Leia mais:
Batida entre caminhão e ônibus deixa três mortos e quatro feridos em Campo Belo
MPF entra na Justiça para obrigar Dnit a melhorar condições de rodovia em Arcos
Carro capota na BR-354, em Arcos, e um homem fica gravemente ferido