Uma mulher de 53 anos sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi encaminhada para o CTI do Hospital Risoleta Neves em estado gravíssimo após ter inalado fumaça de queima de pneus na avenida Antônio Carlos, na região da Pampulha, durante protesto na manhã desta sexta-feira (14). 

A passageira, originária de Santa Luzia, na Grande BH, seguia de ônibus para a capital quando, por volta das 8h, seu coletivo foi surpreendido, próximo à UFMG, com a interrupção de tráfego. Como os manifestantes queimavam pneus para parar o trânsito, a substância tóxica foi levada pelo vento e entrou no veículo.

Segundo a PM, a mulher inalou muita fumaça e passou mal. Ela foi levada às pressas por uma viatura do Tático Móvel do 13º Batalhão até o Risoleta Neves, local em que sofreu uma parada cardiorrespiratória e precisou ser reanimada. 

De acordo com o centro de saúde, foram feitos todos os procedimentos para estabilização da vítima e ela foi encaminhada para o CTI da instituição em estado gravíssimo por volta das 11h desta manhã.

Bolsonaro comenta greve

Durante um café da manhã com jornalistas hoje, o presidente Jair Bolsonaro foi perguntado sobre a greve. O presidente disse ver o movimento como algo natural. "[Vejo] com muita naturalidade. Quando resolvi me candidatar, sabia que ia passar por isso", disse. 

Sobre reforma da Previdência, alvo das paralisações de hoje, Bolsonaro voltou a defender a importância das mudanças nas regras da aposentadoria, sem as quais os empresários não terão "segurança para investir".

Leia mais:
Escolas e centros de saúde aderem à greve; veja o que funciona neste dia de paralisação
PM reforça segurança em estações para garantir ônibus em BH; passageiros reclamam de demora
Greve tem metrô parado, protestos em vias e trânsito complicado em BH