O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) vai julgar, no decorrer desta semana, 26 integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) que estão presos em penitenciárias do Estado. As audiências ocorrem a partir desta segunda-feira (26), no Fórum Lafayette, no Barro Preto, Centro-Sul de BH. 

Para o julgamento foi implantado um esquema especial de segurança. O transporte dos réus para o fórum foi acompanhado por viaturas da Polícia Militar (PM). Ao todo, mais de 270 policiais militares e civis estão envolvidos não só no translado dos réus, mas também em patrulhar as imediações do tribunal. Agentes penitenciários também atuam na segurança. 

Varreduras no entorno do Fórum Lafayette também serão realizadas para vistoriar se alguma bomba ou outro dispositivo foi colocado no local. Outra medida de segurança adotada foi o fechamento da rua Ouro Preto para a chegada dos criminosos ao júri. O acesso ao prédio do Fórum Lafayette será feito apenas pela avenida Augusto de Lima e rua Paracatu. 

De acordo com o TJMG, os réus serão julgados por crimes relacionados a danos ao patrimônio público e tráfico de drogas. O processo, conforme o tribunal, tramita em segredo de justiça. ​

Corrente falsa

O TJMG ainda esclareceu, na manhã desta segunda-feira (26), que apesar das intervenções de segurança, o funcionamento do fórum continua normal. A nota desmente um texto que circula desde o fim de semana por WhatsApp e diz que o acesso ao prédio seria restrito a funcionários e cidadãos pré-cadastrados.

A corrente, segundo o órgão, tem sido enviada como se fosse uma ordem do diretor do Foro de Belo Horizonte, juiz Christyano Lucas Generoso. Embora a restrição de acesso ao Fórum Lafayette seja falsa, o TJ confirma que algumas áreas dentro do prédio estão com circulação restrita.

Confira um vídeo da chega dos criminosos no Fórum: :