A chuva forte que atingiu Belo Horizonte na tarde desta quinta-feira (18) derrubou árvores, alagou vias e causou transtornos ao interromper o fornecimento de energia elétrica em pelo menos nove bairros da cidade, segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a eletricidade acabou às 13h e retornou por volta das 17h. 

De acordo com a companhia, a junção de muita água com ventos fortes causou o corte elétrico. No temporal desta tarde, choveu mais da metade do esperado para este mês - o volume pluviométrico chegou a 77 milímetros. As rajadas de vento chegaram a 65 km/h, o que arrancou galhos de árvores e objetos e os jogou contra a fiação elétrica. 

Em nota, a Cemig informou que cerca de 250 profissionais foram mobilizados para restabelecer a entrega de energia "o mais rápido possível". A previsão é que o fornecimento volte ao normal ao longo desta tarde e noite. 

Sem luz em vários pontos, inclusive RMBH 

Na UFMG, localizada no bairro Pampulha, na região de mesmo nome, a energia foi interrompida às 13h. Pelo Twitter, a instituição de ensino informou que sua equipe técnica foi a campo para verificar a causa da queda no fornecimento. 

Por volta das 16h10, a universidade divulgou no microblog o retorno da luz e informou que as atividades programadas seguem normalmente. Outros bairros da região também foram prejudicados. 

No Prado, na região Oeste da capital, empresas perderam o acesso à energia, interrompendo o expediente. A falta elétrica continua nesta tarde.

Além desses, Maria Goretti, Vila Ipê e São Marcos, na região Nordeste; Santa Efigênia, Sion, Santo Antônio, Santo Agostinho e Funcionários, na Centro-Sul, também sofreram com a perda de energia. 

Ainda segundo a Cemig, os transtornos chegaram à Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde bairros de Santa Luzia, Igarapé, Pedro Leopoldo, Contagem e Matozinhos também foram afetados.

A empresa ainda não divulgou em que locais a energia já foi reestabelecida. Nos bairros Vera Cruz, Alto Vera Cruz e parte do Pompeia, na região Leste, a energia não retornou até o momento.

Leia mais:
Temporal derruba árvores e provoca estragos em Belo Horizonte na manhã desta quinta
Kalil afirma que são necessários 40 anos de trabalho para resolver problemas com chuvas