O assentamento Dandara, na região da Pampulha, terá, a partir desta quinta-feira (21), o primeiro centro de saúde para atender a população local. Esse é o primeiro equipamento público no local, desde que a comunidade foi fundada, em 2009. A estrutura, formada por 13 contêineres, é um anexo do Centro de Saúde Trevo, que atendia os moradores do Dandara no bairro vizinho até então. Além dos serviços médicos, o local também terá farmácia, distribuição de medicamentos e 25 agentes de saúde da família.

"A importância dessa ação é a inclusão dessas pessoas na sociedade. Eram cerca de 32 mil moradores de ocupações que não tinham acesso aos serviços de saúde e agora terão", observou o secretário de Saúde do município, Jackson Machado, durante a inauguração do centro. 

Os 4 mil moradores do Dandara estão sendo cadastrados pela prefeitura para terem acesso aos serviços públicos. O assentamento ainda não tem energia elétrica e asfalto universalizados. Faltam também escolas e creches para atender a região. Para a líder comunitária Sônia Maria Mendes, a criação de um posto de saúde indica que o Dandara começa a ser visto pelo poder público. "É uma grande vitória", garantiu. 

O prefeito Alexandre Kalil (PHS) disse, em visita ao centro, estar "emocionado" com a instalação do primeiro equipamento público. Kalil ainda garantiu que não há a possibilidade de que os moradores tenham que deixar o assentamento. "Ninguém vai sair daqui ou de ocupação alguma. Vamos fazendo devagarzinho. Eu vim aqui e prometi. Está aí: limpeza, polícia, posto de saúde. São o improvisados, mas tocam muito o coração de quem mora aqui", completou.