A Polícia Civil apresentou nesta quinta-feira (1º) um balanço da operação que desarticulou uma loja de receptação de aparelhos eletrônicos furtados. No local foram localizados 160 aparelhos celulares, 15 tablets e 19 máquinas fotográficas sem origem definida. 

A operação foi realizada no centro da capital e o proprietário da loja, um homem de 31 anos foi preso em flagrante.

De acordo delegado responsável pela investigação, Rodrigo Baptista Damiano, a loja de fotografia funcionava para encobrir o esquema criminoso de compra e venda de produtos roubados."As investigações começaram há cerca de um mês, visando reprimir a receptação de celulares no centro da capital. Durante as investigações chegamos até essa loja que funcionava de forma a encobertar o crime de receptação, como uma loja de fotografia 3x4.  No local efetuamos a prisão em flagrante do proprietário e apreensão de todo esse material”, explicou.

O chefe do 1º Departamento de Polícia Civil (1ºDEPPC) em Belo Horizonte, Rafael de Souza Horácio, falou sobre o combate ao crime contra o patrimônio. “Desarticular a receptação, que tem como objetivo a compra de produtos ilícitos e revende-los, é um duro golpe para criminalidade. A apreensão desses aparelhos é fruto de uma investigação qualificada para diminuir a incidência desse tipo de crime”, ressaltou.

O delegado Rodrigo Damiano destaca que população deve sempre registrar o boletim de ocorrência indicando, quando possível, o número de IMEI. “É importante para que a pessoa e tenha sido vítima de seu aparelho furtado/roubado coloque o número no boletim de ocorrência para facilitar a localização. Ressalto que caso alguma vitima que ache que seu aparelho está entre esses, possuindo ou não o número do IMEI, procure a 4ª Delegacia de Polícia Civil Centro para tentar recuperar o seu aparelho”, disse.

O suspeito será indiciado por receptação qualificada.

Leia mais:
Ex-motorista do Uber é preso ao roubar celulares com dois menores
Especialista em roubar lojas de celulares é preso no bairro Caiçara