Os impactos que podem ser gerados na região da Pampulha, em Belo Horizonte, pela reativação dos voos no Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, serão debatidos com autoridades e moradores na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário na próxima quinta-feira (30), no Plenário Helvécio Arantes, na Câmara Municipal de Belo Horizonte, a partir das 13h30.

Apesar de não ter sido citada durante a campanha como uma das metas de sua gestão, o apoio à medida foi anunciado recentemente na página do prefeito Alexandre Kalil em uma rede social. Moradores temem ruídos, adensamento do tráfego e outros transtornos na região.

Impasse

Em 2006, visando efetivar a transferência das aeronaves de maior porte para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi determinado que o equipamento só poderia receber voos comerciais com aviões de até 70 passageiros. A partir dessa data, o aeroporto da Pampulha ficou limitado aos voos regionais, muitos cancelados por conta da crise econômica.

Atualmente, o terminal recebe apenas dois voos diários, entre Ribeirão Preto (SP) e Belo Horizonte. Recentemente, ainda na gestão municipal anterior, a volta de operações com aviões de grande porte e o melhor aproveitamento do aeroporto começaram a ser discutidos, desagradando os moradores do entorno.
ral.