O primeiro dia de provas da segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve questões que abordaram temas como o racismo, as sacolinhas plásticas e mudanças climáticas, segundo informações dos candidatos na portaria da PUC Coração Eucarístico, um dos locais de prova em Belo Horizonte. Neste sábado(3), foram quatro horas e 30 minutos para responder a 90 questões das áreas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias.

Jéssica Scarpelli, 20 anos, disse que achou a prova bem difícil. "Achei difícil principalmente as questões de História do Brasil. Agora eu tenho que me preocupar com amanhã", disse. Ícaro Martins, 20 anos, que vai tentar vaga para Direito, também quer se dedicar mais no segundo dia. "Achei difícil; principalmente Química e Biologia. O resto deu pra administrar", explicou.

Já Evelyn Ribeiro, 24 anos, que vai tentar vaga para Enfermagem, achou a deste ano bem mais fácil do que a do ano passado. Mas ela estava apreensiva. Primeiro por causa do adiamento das prova de novembro para dezembro. Depois por causa do suposto vazamento de questões e possível cancelamento do Enem. "Hoje eu ia trabalhar. Eu deixei de trabalhar para fazer a prova e agora essa possibilidade de cancelamento", disse.

dfsdgs

Ícaro achou as provas de Química e Biologia difíceis e Evelyn disse que, este ano, estava mais fácil 

Gabriel lamentou não ter feito a prova em novembro. "Achei esta mais difícil do que a de antes", explicou. Ele disse que se tivesse feito o Enem em novembro, quando o tema da redação foi intolerância religiosa, teria melhor pontuação. "Minha expextativa era o tema passado, agora não sei o que vai ser", afirmou. 

Entre as apostas dos alunos para o tema da redação estão o racismo, inclusão social, bullying e meio ambiente. Cerca de 70 mil candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) voltam a fazer prova neste domingo (4). Serão cinco horas e 30 minutos para as provas de redação, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Minas Gerais tem o maior universo de inscritos para a segunda aplicação. Belo Horizonte e Uberlândia lideram os municípios com mais candidatos: 20.473 e 13.801, respectivamente.

O resultado do Enem será divulgado no dia 19 de janeiro.

Vazamento da prova

O Ministério Público Federal do Ceará afirmou esta semana a Polícia Federal concluiu que houve vazamento do Enem 2016. Relatórios da investigação apontaram que as provas do primeiro e do segundo dias do exame, além da redação, vazaram antes do início da aplicação para pelo menos dois candidatos no Ceará. No documento, a PF conclui que houve crime de estelionato qualificado no caso.

Conforme nota emitida ontem pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Enem não será cancelado e a punição está restrita aos envolvidos nos casos de tentativa de fraude. “Ao contrário do que informou o procurador Oscar Costa Filho, do Ministério Público do Ceará, o inquérito não foi concluído”, diz a nota.

Segundo o Inep, os casos de tentativa de fraude identificados estão sob investigação e delimitarão a responsabilidade dos envolvidos e não há indício de vazamento de gabarito oficial. 

O Inep também afirma que as operações deflagradas em 6 de novembro, que resultaram na prisão de duas pessoas, são reflexo da ação conjunta com a Polícia Federal, e que trabalham em parceria para garantir a segurança e a lisura do certame. A autarquia “reitera o empenho de colaborar com a Polícia Federal para apurar os fatos, garantindo que não haja prejuízo aos participantes”.

Por meio da assessoria de imprensa, a PF diz que não iria se manifestar sobre o caso.

(Com informações de Renata Evangelista)

Leia mais:
Inscrito que perdeu a prova desabafa: 'Estou pagando por uma coisa que não tenho culpa'
Enem é aplicado neste final de semana para mais de 277 mil candidatos