Um policial miltiar à paisana foi morto em uma lanchonete no bairro Pompeia, na região leste da capital, depois de uma confusão envolvendo um agente penitenciário. De acordo com o suspeito, que tem 32 anos, ele estava em uma banca de sanduíches quando por volta de 0h50, percebeu que um homem discutia com o proprietário do local.

No depoimento, o agente disse que se afastou do local, mas percebeu que o homem estava armado e ameaçava o comerciante e um funcionário. Ele então teria sacado a arma e dado voz de prisão sem saber que se tratava de um policial militar de folga. O policial tentou tomar a arma do agente penitenciário, que disparou duas vezes.

Ao saber que se tratava de um policial, o suspeito fugiu do local, mas foi preso logo em seguida em uma casa próxima ao local do crime. Ele foi levado para a Delegacia de Plantão do Barreiro. O soldado de 28 anos foi socorrido, mas morreu ao dar entrada no Hospital João XXIII. 

 

 

Agente vai aguardar julgamento em liberdade

Levado para a penitenciária Nelson Hungria em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, o agente suspeito de efetuar os disparos vai responder o processo em liberdade.

Segundo o advogado Lucas Laire, o suspeito não apresentou resistência à prisão e não havia requisitos para manter a prisão preventiva. A Polícia Civil vai concluir as investigações e enviá-las para o Ministério Público, que decidirá se dá ou não prosseguimento à denúncia com uma ação penal.

Leia mais:
Polícia investiga ação de agente penitenciário que matou PM em BH