Funcionários da BR Distribuidora de Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte, entraram em greve nesta segunda-feira (15) contra a privatização da empresa subsidiária. A previsão é de que a paralisação dure cinco dias. 

De acordo com informações da Federação única dos Petroleiros (FUP), o movimento teve adesão também em outros estados e a paralisação foi aprovada pelos trabalhadores em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Amazonas, Sergipe, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Em apoio aos grevistas da BR Distribuidora, o Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro/MG) fará, nesta quarta-feira (17), uma manifestação no começo do expediente. A paralisação deve seguir até a próxima sexta-feira (19), quando outra assembleia deverá ser feita.

Segundo o 1º Secretário da Minaspetro Bráulio Chaves, a paralisação não deve ter maiores consequências para a população de Belo Horizonte. "Cinco dias não são suficientes para acabar com o estoque, porque como a paralisação é só na BR Distribuidora, outras distribuidoras como a Shell, Ale e Ipiranga teriam condições de manter o abastecimento", afirma. 

Em nota, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo no Estado de Minas Gerais (Sitramico-MG), afirma que a organização é contra a privatização devido às possíveis consequências. "A ameaça de desemprego e de retirada de direitos são reais. Não podemos nos omitir. Nossa diretoria está mobilizada e se preparando com faixas, camisas, som e contando com o apoio de companheiros de outros sindicatos", explica.