Minas Gerais registrou 15 tremores de terra nos últimos 14 dias. De acordo com o Observatório Sismológico (Obsis) da Universidade de Brasília (UnB), os últimos abalos sísmicos aconteceram em Funilândia e Sete Lagoas, ambos na região Central, nesta segunda-feira (11).

O fenômeno foi sentido também nas cidades de Matozinhos e Prudente de Morais, mas segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) nenhum dano foi registrado em decorrência dos abalos.

Conforme dados do Obsis, o tremor mais forte foi sentido em Funilândia. Lá, o abalo foi de magnitude 3,5 e ocorreu às 8h55. Em Sete Lagoas, o epicentro aconteceu às 1h28 e foi de magnitude 1,7.

De acordo com o pesquisador do Observatório Sismológico da UnB George Sand França, os abalos ocorrem devido à existência de falhas geológicas. "Provavelmente, trata-se do que chamamos de enxame sísmico. Há uma ocorrência de diversas atividades sísmicas na região, que podem ser interrompidas ou terem continuidade. Mas não esperamos que novos tremores possam alcançar magnitude maior do que os que ocorreram".

França afirmou que seria preciso deslocar uma equipe de pesquisadores para entender melhor o que está acontecendo na região. No entanto, um estudo como esse dependeria de liberação de recursos. Ele lembrou que tremores dessa magnitude não causam problemas graves nos imóveis e, no máximo, pode causar rachaduras em edificações com estrutura muito fraca.

Histórico

Segundo o Obsis, desde o último dia 24 de março, outros cinco tremores de terra ocorreram em Sete Lagoas. Além da cidade, a terra tremeu duas vezes em Pedro Leopoldo, uma em Funilândia, Cônego Marinho, Prudente de Morais, Januária, Itacarambi e Jaíba.

A primeira vez na história que a terra tremeu em Sete Lagoas foi no último dia 24. O professor George Sand França explicou que o fenômeno pode ter sido provocado por falhas geológicas na região. "As placas tectônicas, quando se acomodam ou movimentam, geram pequenos tremores".

De acordo com o especialista, por enquanto não há como prever se novos tremores serão sentidos na região. Contudo, a expectativa é a de que se houver novos abalos, eles sejam de menor intensidade.

Sobre o Norte de Minas, o sismólogo lembrou que a região fica próximo de Montes Claros, que tem atividade sísmica ativa. "Falha geológica existe em todo o planeta. Porém, ela pode ser ativada, reativada ou inativa".

Tremores de terra assustam moradores de cinco cidades mineiras