Um dos líderes do grupo de rap Família de Rua, principal do gênero musical em Belo Horizonte, Leonardo Cezário, foi detido por desobediência na madrugada de sábado para domingo durante evento cultural no Teatro Espanca!, na rua Aarão Reis, no Centro de Belo Horizonte.

Segundo relatos de amigos de Leonardo Cezário, o Léo, o grupo Família de Rua estava se apresentando no evento “Café, Ritmo e Poesia” com show de Roger Deff, artista com mais de 20 anos de trajetória e militante da cultura Hip Hop de BH, quando percebeu que um homem, em situação de vulnerabilidade e aparentemente embriagado, foi abordado pela PM.

Conforme relato de testemunhas, Leonardo considerou que a abordagem estaria sendo feita de forma violenta, já que um dos policiais teria se ajoelhado nas costas do morador de rua, identificado como Alexandre. Ele se aproximou e falou para o policial que o uso da força era desnecessário.

O policial não teria gostado da "intromissão" e pediu os documentos de Leonardo, que em um primeiro momento se recusou a mostrar, alegando não estar fazendo nada ilegal. O policial teria dito, então, que a atitude era desacato. Diante dessa resposta, o rapper mostrou a documentação. Ainda assim, acusam os amigos de Leonardo, ele foi levado preso.

"É bizarro. Um cidadão vê uma situação abusiva e quando vai se manifestar é retaliado. Um agente de segurança pública que deveria estar aí para nos proteger age apenas como uma autoridade", criticou o rapper Roger Deff.

Outro lado

Segundo informações da sala de imprensa da PMMG, os policiais foram chamados à rua Aarão Reis para uma ocorrência de ato obsceno. Com sinais de embriaguez, um homem identificado como Alexandre estaria se masturbando em via pública. Quando foi abordado pelos guardas municipais, ele se exaltou e teve que ser algemado. Foi então que Leonardo Cezário se aproximou e disse que a ação se tratava de violência policial.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, foi pedido ao artista que mostrasse sua carteira de identidade, o que ele teria se negado a fazer. Os policiais o prenderam por crime de desobediência e ele foi encaminhado para o Ceflan, no bairro Floresta, para registro do BO. A PM não soube informar se ele já foi liberado.

A reportagem tentou contato telefônico com Leonardo Cezário mas, até o momento, o rapper não atendeu às ligações.