Dez pessoas foram presas nesta terça-feira (1º) pela Polícia Federal em Governador Valadares, no Leste do Estado, durante a operação “Samoa”, deflagrada para desarticular um grupo de traficantes que atuava na região e cidades do Mato Grosso. Entre as apreensões estão armas, dinheiro e o motor de um barco usado para transportar a droga pelo rio Doce.

Durante as investigações, que começaram há um ano, a PF descobriu que a droga, em sua maioria pasta base de cocaína, era adquirida em cidades do Mato Grosso e comercializada em Valadares e região. O líder do bando foi preso e será autuado também por lavagem de dinheiro porque usava “laranjas” para comprar carros com recursos do tráfico e depois enviava os veículos para os comparsas do Mato Grosso.

Segundo o delegado da PF em Valadares, Marcelo Xavier, as investigações foram complexas. “Um dos distribuidores que atuava na cidade estava no ramo há muito tempo e tinha uma logística preparada para receber os entorpecentes, o que dificultou o nosso trabalho”, explicou. Além de ilhas, o grupo usava pontos as margens do rio doce para esconder a droga, distribuída também em barcos.

As investigações indicaram que os R$ 493.075,00 apreendidos pela Polícia Militar em Valadares em 29 de outubro de 2014 e os 127 quilos de pasta base de cocaína apreendidos pela Polícia Federal em 31 de agosto de 2015 pertenciam a um dos valadarenses presos. A maioria das prisões feitas em Valadares aconteceram nos bairros Santa Rita e São Raimundo, que são banhados pelo rio Doce.

Ao todo, foram cumpridos 29 mandados judiciais, sendo 14 buscas e apreensões, 13 prisões temporárias e 2 conduções coercitivas. Todos os presos foram indiciados e responderão por tráfico de drogas, associação para o tráfico e  lavagem de dinheiro, penas que somadas poderão atingir 35 anos de prisão.