Obras de prevenção a enchentes e inundações em Belo Horizonte deverão se estender pelos próximos 20 anos. A afirmação é do prefeito Marcio Lacerda, que participou neste sábado (13) do Dia de Mobilização Nacional de Combate ao Aedes aegypti, em um posto de saúde do bairro Nova Vista, região Leste. Na sexta-feira (12), uma mulher morreu após ser arrastada pela enxurrada no Prado, região Oeste.

"Nós lamentamos muito esse grave acidente. Nos solidarizamos com a família", disse Lacerda, que logo depois acrescentou "As próximas quatro ou cinco administrações em Belo Horizonte terão que continuar investindo fortemente nessa questão de prevenção de chuvas". Questionado "se o problema da chuva duraria mais 20 anos", ele disse: "pode ser, não sei. A questão de meteorologia você pode ter fenômenos de cem anos bastante graves".

Segundo o prefeito, que está no cargo há mais de 7 anos, intervenções foram concluídas, outras estão em andamento e há previsão de novas obras. À frente da Defesa Civil de BH, o coronel Alexandre Lucas Alves afirmou que "obras para prevenção a desastres precisam ser feitas o resto da vida". Conforme ele, a cidade é dinâmica e está em constante transformação.

Morte

Na sexta, choveu cerca de 90 milímetros na região do Prado. O volume representa quase a metade do previsto para fevereiro. A vítima arrastada pela correnteza que se formou na rua Diorita tinha 59 anos. Ela se afogou após ficar presa debaixo de um carro e em seguida teve uma parada cardíaca. O local do acidente é conhecido por alagamentos em Belo Horizonte em dias de grandes temporais.