Belo Horizonte vai alcançar a meta de 100% dos ônibus adaptados para atender pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou dificuldades de locomoção em 2016. A informação é do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH), que disse nesta quinta-feira (4) que irá renovar 11,53% da frota da capital.

Neste ano, 340 veículos serão substituídos. Atualmente, 2.947 circulam nas ruas da capital mineira. "A renovação ocorrerá nas garagens de todas as 40 empresas que operam o sistema de transporte coletivo municipal e em praticamente todas as 341 linhas", garantiu o sindicato.

Cada veículo convencional será adquirido por R$ 300 mil. Os ônibus do BRT Move padron vão sair por R$ 400 mil e os articulados R$ 750 mil. O Setra garantiu que os veículos do BRT não serão trocados já que foram comprados recentemente.

Em média são realizadas mensalmente 730 mil viagens, percorrendo 14 milhões de quilômetros e transportando 36 milhões de usuários todo mês.

Acessibilidade

O decreto federal 5.296, de dezembro de 2014, explica que os "sistemas de transporte coletivo são considerados acessíveis quando todos os seus elementos são concebidos, organizados, implantados e adaptados segundo o conceito de desenho universal, garantindo o uso pleno com segurança e autonomia por todas as pessoas".

A lei é clara ao garantir que os terminais, estações, pontos de parada e vias de acesso também assegurem condições de atender pessoas com deficiência.