A greve de aeronautas e aeroviários programada para o período entre as 6h e as 8h em 12 aeroportos brasileiros causou problemas aos passageiros com viagens marcadas para esta quarta-feira (3) no Aeroporto Internacional de Confins, na Grande BH.  Segundo funcionários das companhias Azul, Tam e Gol, quase todos os voos com destino, conexões ou vindos de terminais paulistas tiveram atrasos ou cancelamentos. Foram sete atrasos e seis cancelamentos.

Os passageiros com partidas marcadas para o horário da paralisação foram orientados a alterar os planos de viagem para outro horário ou nova data, sendo que cada companhia deverá informar as condições de remarcação dos bilhetes.

"Nós estamos remarcando os voos. Eles estão previstos e as aeronaves  estão nas pistas. Mas não posso afirmar que eles vão decolar. Estamos tentando contornar a situação na medida do possível", explica a assistente de embarque da Azul Talliany Costa.

Segundo o sindicato da categoria, a paralisação aconteceu nos aeroportos de Guarulhos (SP), Congonhas (SP), Viracopos, Brasília, Santos Dumont (RJ), Galeão (RJ), Porto Alegre, Recife, Fortaleza, Florianópolis, Curitiba e Salvador.

Para o empresário Rivaldo Drummond, 51 anos, a paralisação pode resultar em prejuízos. "Tenho uma reunião importante em Campinas e justamente o meu voo foi cancelado. Cheguei ao aeroporto às 6h para tentar antecipar meu embarque no voo de 7h54, mas não consegui. A companhia remarcou minha passagem para o próximo voo", conta.

"Como sempre, a população é quem sai prejudicada em qualquer tipo de manifestação. Não sou contra esse direito deles, mas o país está quebrado. Acho que este não é o melhor momento para reivindicar, mas sim para trabalhar", desabafou o empresário.

97 voos cancelados no país

Segundo dados da Infraero, às 9h, em todo o país, dos 527 voos programados (domésticos e internacionais), 170 estavam atrasados e 97 tinham sido cancelados, segundo a Infraero. Segundo a estatal, a situação deve ser normalizada ao longo do dia, mas não há uma previsão concreta, porque a paralisação impactou toda uma rede.

Atualizado às 10h15