Após um imbróglio em que duas licitações para manutenção e instação de abrigos de passageiros foram suspensas devido a falhas no edital, a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte (PBH) voltou abrir uma nova concorrência para serviços de manutenção destes espaços instalados em pontos de ônibus.

Interessados em participar do processo de concorrência por menor preço deverão apresentar a documentação necessária até o dia 27 de janeiro deste ano.

Usuários reclamam constantemente de coberturas danificadas, como publicado em dezembro de 2015, pelo jornal Hoje em Dia. Na alameda Ezequiel Dias, por exemplo, ao lado do Parque Municipal, passageiros aguardam a manutenção em um abrigo há dois anos. “Quando estava na faculdade, ficava aqui esperando ônibus e pegando chuva”, contou a demonstradora de cosméticos Luciana Soares, de 27 anos.

Situações incondizentes com um transporte público que recebeu no segundo semestre do ano passado mais de R$ 1 bilhão em investimentos na implantação do Move.

Para associação, material é de baixa qualidade e não protege
 
Para a diretora da Associação de Usuários do Transporte Coletivo da Grande Belo Horizonte, Gislene Gonçalves dos Reis, o que falta é manutenção nos abrigos de ônibus. Ela também criticou a durabilidade do material utilizado nos equipamentos públicos, principalmente as coberturas que são feitas de material plástico (policarbonato). “É um dinheiro gasto a toa. Não tapa o sol nem protege da chuva, e a durabilidade é quase nenhuma”.

A diretora defende o uso de materiais mais resistentes, de metal, utilizados em alguns abrigos da cidade. “Tinham de ser mais amplos, fortes e duráveis”.

* Com informações de Letícia Alves