A chuva frequente dos últimos dias também foi um alívio para municípios mineiros que adotaram o racionamento de água por causa da seca, como Juiz de Fora e Viçosa, na Zona da Mata. No entanto, a medida será mantida.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Viçosa, o decreto de emergência que instituiu o racionamento segue em vigor até abril, conforme decisão do Comitê de Acompanhamento da Crise Hídrica.

A cidade é abastecida por dois sistemas: a represa do ribeirão de são Bartolomeu, que fica dentro do campus da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e o rio Turvo. O primeiro estava praticamente seco antes da chuva e agora se recompôs, mas a insegurança por causa da instabilidade da situação motivou a decisão de manter a economia no uso da água.

Em Juiz de Fora, a prefeitura seguiu a mesma linha. Segundo a assessoria de comunicação da Companhia de Saneamento Municipal (Cesama), apesar de o manancial João Penido, o mais penalizado com a seca dos últimos anos, ter apresentado melhora, o rodízio no abastecimento continua.

“Conseguimos equilibrar o sistema, mas estamos mantendo o rodízio por precaução, por tempo indeterminado. Estamos acompanhando, mas por enquanto o rodízio permanece, embora a situação seja mais confortável do que no ano passado”, informou a assessoria.