A ação ousada de um grupo de homens que furtaram máquinas pesadas e lesaram prestadores de serviço de Mariana, Ouro Preto e Belo Horizonte em mais de R$ 2 milhões está sendo investigada pela Polícia Civil. Os criminosos trabalharam durante oito dias na limpeza de estradas e distritos afetados pelo rompimento da barragem da Samarco, há dois meses, e desapareceram sem deixar pistas, no início desta semana.

Três escavadeiras hidráulicas e uma retroescavadeira locadas em uma empresa de Belo Horizonte foram levadas pelo grupo. Outras seis máquinas, entre as 11 que haviam sido alugadas, foram encontradas, duas delas com a parte elétrica totalmente danificada e uma abandonada em um posto de combustível. O carro pessoal de um empresário que alugou caminhonetes para o grupo também foi levado.

Assista ao vídeo, registrado pelas câmeras da pousada em Ouro Preto, em que dois suspeitos aparecem:

Somado, o prejuízo causado pelos falsos voluntários ultrapassa os R$ 2 milhões, já que um posto de combustível, uma lavanderia de Mariana e um hotel de Ouro Preto também foram lesados financeiramente.

“O que nos deixa mais perplexos é saber que esses homens se utilizaram de um momento de comoção e tristeza e da boa fé das pessoas para aplicarem um golpe desse tamanho”, desabafou o prefeito de Mariana, Duarte Júnior. Segundo ele, dois homens, possivelmente os líderes do grupo, se apresentaram à prefeitura como voluntários oferecendo serviços de limpeza das vias e abertura de estradas na região de Mariana. O maquinário e a mão de obra empregados ficaram a carga deles.

A dupla apresentou documentos da HCS Construtora e Transportadora, empresa com sede no Rio de Janeiro. O jurídico da firma, no entanto, nega que haja qualquer participação da empresa no golpe e informou que todas as providências estão sendo tomadas para responsabilizar os suspeitos.

suspeitos de roubo de maquínário em mariana
Suspeitos se identificaram como Anderson Vieira e Lucas Cunha na pousada, onde as câmeras registraram as imagens (Foto: Reprodução)

Comportamento normal

Sócio-proprietário da Pousada Arcádia Mineira, em Ouro Preto, onde os homens se hospedaram entre os dias 4 e 10 de janeiro, Júlio Pimenta, diz que a dupla agiu sem demonstrar qualquer suspeita de que estava aplicando um golpe. Não fosse por um detalhe, a ação poderia ter continuado e o prejuízo seria ainda maior, acredita. “Eles acordavam cedo, tomavam o café da manhã, saíam e voltavam com as roupas sujas, de quem havia de fato trabalhado em uma obra. Mas passei a desconfiar quando percebemos que todo o conteúdo do frigobar era consumido diariamente”, detalha.

Um dos suspeitos, identificado como Lucas Cunha, deixou a pousada na madrugada do último domingo (10), alegando que precisaria ir a Belo Horizonte resolver questões relacionadas ao trabalho. Informou, no entanto, que o colega, hospedado no mesmo local e no mesmo quarto, ficaria. “Como ele não apareceu, entramos no quarto com a chave reserva e para nossa surpresa não tinha mais ninguém lá”, contou o empresário. O outro homem identificou-se como Anderson Vieira no momento do check-in.

Os equipamentos de GPS, que possibilitam o rastreamento dos veículos, foram desligados. Até o momento não há pistas de onde as máquinas estejam. “Acreditamos que estejam perto, devido ao tamanho delas”, comenta o dono da Lafaete Locações, em Belo Horizonte, que alugou o maquinário para o grupo, Rogério Marques.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que um inquérito foi instaurado e que o crime está sendo investigado.

Confira a cópia do contrato entre os golpistas e a Prefeitura de Mariana:

Grupo se passa por voluntário para furtar máquinas em Mariana avaliadas em R$ 2 milhões

Grupo se passa por voluntário para furtar máquinas em Mariana avaliadas em R$ 2 milhões

Grupo se passa por voluntário para furtar máquinas em Mariana avaliadas em R$ 2 milhões

Grupo se passa por voluntário para furtar máquinas em Mariana avaliadas em R$ 2 milhões