Nessa sexta (25) foi dia de pais e filhos aproveitarem para curtir os presentes de Natal nas praças e parques da capital. Mas pra muita gente, a alegria não estava nos brinquedos sofisticados. Tempo, um bocado de vida, foi o presente mais “caro” que o comerciante Carlos Ribeiro dos Santos deu para os filhos.

Curtindo com eles na Praça da Liberdade, ele conta que o pedido foi do filho mais novo, o Rafael Carlos, de 4 anos. “Ele chegou para mim com uma foto de revista, de um pai brincando com o filho, e me disse: ‘Olha, todo pai tem que levar os filhos ao parque’. Isso me comoveu. A gente trabalha sábado, domingo, mora em apartamento, tem pouco tempo pra eles”, contou.

O filho mais velho de Ribeiro, Carlos Gabriel, de 10 anos, conta que ganhou um Xbox e bicicleta, mas entre ficar no sofá jogando videogame e ir para a praça, ele não tem dúvida da escolha: “melhor vir para cá com meu pai e meu irmão”.

Longe dos eletrônicos, solto na grama, Rafael se divertia com um boneco que solta bolhas de sabão e Gabriel, junto com o amigo Luiz Felipe, achava o máximo o velho e bom estilingue.

Correndo de um lado para o outro, a pequena Elis, de 1 ano e meio, também era só sorrisos atrás de um balão. A mãe, a oceanógrafa Carolina Cunha Andrade, diz que Elis ganhou brinquedo na noite de Natal, mas o valor que ela ensina para criança é de que o amor é mais importante que os presentes.

“Tentamos mostrar que o Natal é a reunião da família”. E ir para praça no dia 25 faz parte da festa. “Deixá-la curtir perto da natureza, livre, é o melhor presente”.