O verão começa na segunda-feira (21) que vem com previsão de chuva em Minas. O volume, segundo o ClimaTempo, estará dentro da média, mas aliviará o calor intenso registrado na estação nos dois últimos anos. Nessa sexta (16), a Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou que 2015 entrará para a história como o ano mais quente já registrado.

Usando dados de entidades oficiais dos Estados Unidos, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) indicou que as temperaturas até o final de novembro estiveram 0,87 °C acima da média do século 20 e supera o recorde de 2014.

Para que 2015 não receba o título de ano mais quente da história seria preciso que este dezembro fosse o mês mais frio desde 1916. Segundo os dados avaliados pela ONU, novembro foi um mês especialmente quente e bateu o recorde para esse período do ano desde que os registros começaram, em 1880. O mês teve temperaturas 0,97 °C acima da média do século 20.

No mar

Novembro também foi o sétimo mês consecutivo de quebra de recordes mensais. O que surpreendeu a OMM foi a elevação das temperaturas do mar.

No mês passado, ela ficou 1,51 °C acima da média do século 20. O último recorde havia sido registrado em 2013, quando a elevação foi de apenas 0,13 °C. Os serviços de meteorologia do Reino Unido avisaram que em 2016 as temperaturas do mar serão mais quente que 2015.

Em Minas

Como divulgado pelo Hoje em Dia no dia 15, bloqueios atmosféricos, que impedem o avanço das frentes frias, retendo-as sobre o Oceano Pacífico, justificam a seca dos últimos dois verões.

A explicação é do meteorologista Alexandre Nascimento, do ClimaTempo. Segundo ele, ao que tudo indica, o calor intenso não se repetirá em 2016.

As precipitações atmosféricas voltam a marcar o verão em Minas, dentro do esperado para a época. “O Sul, Zona da Mata e Triângulo serão as regiões mais chuvosas do Estado”, disse o meteorologista.

Situação oposta à do Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha, que só terão chuva a partir de fevereiro. Belo Horizonte e as cidades da região metropolitana também devem ver a água cair do céu com mais frequência na segunda metade do verão.

“As chuvas estão mal distribuídas. Mesmo assim, acreditamos que Minas fechará a estação com um saldo positivo, ainda mais se comparado com 2013 e 2014, extremamente secos”, disse Alexandre.

Pancadas

Embora o fenômeno El Niño – o mais forte registrado desde 1997 – já esteja perdendo força, as temperaturas em todo o país continuam mais altas que o normal até a chegada do outono. O calor favorece as pancadas rápidas, com muita ventania e raios, avisa o especialista.

(Com Agência Estado)