1- Em números
A cidade tem hoje 267 aparelhos do tipo. São 91 controladores eletrônicos de velocidade fixa, 36 para detectar invasão de faixa exclusiva de ônibus, 138 de avanço de semáforo e outros dois aparelhos de fiscalização de caminhões, carretas e cavalos mecânicos nas áreas com restrição de circulação, nas avenidas Nossa Senhora do Carmo e Contorno.
2- Para que servem os radares e como eles funcionam
No geral, os radares servem para controlar e garantir que as velocidades máximas regulamentadas sejam efetivamente respeitadas nos principais corredores e vias da cidade, 24 horas por dia.
Dessa forma, reduzem o risco potencial de acidadentes, contribuindo para o aumento da segurança na circulação de motoristas e pedestres.
Medidores de velocidade fixos:
Utilizam os chamados laços de detecção, que são colocados sob o asfalto, em pares, em cada faixa de trânsito, e funcionam pelo princípio da indução eletromagnética.
Assim, a cada passagem de veículo sobre os laços, que ficam distantes cerca de quatro metros um do outro, é considerado o tempo de passagem do veículo pelos dois pontos para calcular a velocidade do mesmo.
Dessa forma, quando a velocidade estiver acima da máxima permitida, uma imagem do veículo infrator será registrada pelo equipamento. Para facilitar a correta identificação do infrator, cada faixa de trânsito tem uma câmera fotográfica exclusiva.

Medidores de velocidade estáticos:

Funcionam a partir do princípio Doppler, que realiza a medição da velocidade através da reflexão de ondas emitidas pelo próprio aparelho. Há uma relação matemática entre a velocidade dos veículos e a frequência das ondas emitidas e refletidas por ele e captadas pelo aquipamento.


3- Critérios para implantação dos medidores de velocidade
São muitos os fatores que determinam a instalação destes equipamentos. O principal é o histórico de acidentes, que considera a frequência e gracidade, por trecho e por cruzamento, a partir da análise de dados fornecidos pela Delegacia Especializada de Acidentes de Veículos (DEAV), do Detran.
Além disso, é considerado o fluxo de veículos e pedestres; a presença de polos geradores de pedestres; e a Geometria, características e o tipo de ocupação da via.

É possível ter acesso, na Biblioteca da BHTrans, aos Estudos Técnicos da Fiscalização Eletrônica, com todas as informações e justificativas de implantação dos equipamentos existentes em BH.

4- Viaturas policiais, carros de bombeiro e ambulâncias podem ser multadas por excesso de
velocidade?
Segundo a BHTrans, de acordo com o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro, veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, tem a garantia de livre circulação, estacionamento e parada, quando em serviço de urgência e devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente.
Assim, após análise do registro fotográfico de infração, se comprovado um dos casos acima citados, a multa
não é emitida.

LOCAIS COM MAIS RADARES DE CADA TIPO
Controle de Velocidade
Av. Amazonas - 9
Av. Cristiano Machado - 11
Av. do Contorno - 7
Av. Presidente Antônio Carlos - 14
Av. Teresa Cristina - 7

Invasão de Faixa de Ônibus
Av. Dom Pedro II - 8
Av. Vilarinho - 9
Av. Nossa Senhora do Carmo - 5
Av. Cristiano Machado - 4

Avanço de Semáforo
Av. Afonso Pena - 9
Av. Amazonas - 16
Av. Cristiano Machado - 18
Av. Presidente Antônio Carlos - 35