Desde o início desta semana, passageiros do metrô de Belo Horizonte têm enfrentado atrasos das composições nos horários de pico. O problema, segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), é "em razão de uma menor disponibilidade de trens".

Conforme a CBTU, a disponibilidade de trens foi prejudicada por causa da suspensão do contrato de terceirização, determinado em ação civil pública, impetrada pelo Sindicato dos Metroviários. "A CBTU já tomou medidas para regularizar a situação", informou.

Fora dos horários de pico, as operações estão normalizadas e os intervalos entre as viagens tem variado entre 8 e 10 minutos, garantiu a CBTU. A companhia frisou que "todas as estações permanecem abertas à população e o sistema segue operando nas 19 unidades".

Renovação de contrato

Na última segunda-feira (30), a companhia e o Sindicato dos Metroviários ratificaram o acordo que viabilizará a renovação dos contratos terceirizados, além da realização de Concurso Público para os cargos objeto da ação civil.