O homem acusado de matar o fotógrafo Walgney Assis de Carvalho será julgado na próxima quarta-feira (19) a partir das 8h30 em Coronel Fabriciano. Alessandro Neves Augusto, mais conhecido como Pitote, já foi condenado a 16 anos de prisão pela morte do jornalista Rodrigo Neto. Os dois crimes aconteceram em 2013 na cidade de Ipatinga e Coronel Fabriciano, no Vale de Aço.

Crimes

O jornalista Rodrigo Neto foi executado a tiros quando estava em um bar do bairro Canaã, em Ipatinga, no Vale do Aço, em março de 2013. O repórter era especializado na cobertura de notícias policiais.

Segundo a Polícia Militar, ele saía de um churrasquinho na avenida Selim José de Sales, quando dois homens chegaram em uma motocicleta escura e atiraram em sua direção. A vítima chegou a ser socorrida com vida, mas morreu a caminho do Hospital Márcio Cunha. A motivação do crime, ainda de acordo com o MP, foram denúncias feitas por Rodrigo em emissora de rádio, contra crimes que ficaram impunes no Vale do Aço.

Pouco mais de um mês, em abril, Walgney foi morto a tiros, em um pesque e pague. Ele havia revelado que conhecia detalhes sobre a morte do colega. De acordo com as investigações, Pitote foi até o local onde a vítima costumava frequentar. Com o mesmo revólver utilizado no assassinato do colega, o homem se aproximou da vítima e atirou.