Meia tonelada de abóbora, 200 quilos de coco em lasca e 90 quilos de açúcar. Esses foram os ingredientes usados para fazer o maior doce de abóbora do Brasil, produzido em Poços de Caldas (Sul de Minas) e certificado pela RankBrasil recentemente. A peça pesa, no total, 551 quilos.

De acordo com a sócia da empresa responsável pelo quitute, Angélica de Lima, a loja é especializada na produção de doces caseiros gigantes, em torno de 50, 100 e 300 quilos. Mas a ideia de fazer um maior foi, inicialmente, apenas para superar um recorde da empresa. “Logo depois pensamos em certificar como o maior do Brasil. Corremos atrás e conseguimos ganhar”, conta.

A produção da peça envolveu seis pessoas e durou mais de 20 dias entre o fim de junho e início de julho. Foram 22 tachadas feitas artesanalmente e colocadas, aos poucos, na forma confeccionada especificamente para receber o doce gigante. Para o transporte para a loja também foi necessária toda uma logística.

“A forma era tão grande que não passava na porta da fábrica. Precisamos de uma empilhadeira especial e um caminhão plataforma. Na loja pesamos em uma balança acoplada a uma paleteira com capacidade para 2 mil quilos”, diz. Não é pra menos: além do peso fora do normal, o quitute mede 1,55 metro de diâmetro.

O próximo passo é atingir o recorde mundial. Para isso, segundo Angélica, a documentação foi enviada pela RankBrasil e a empresa aguarda uma resposta.

Tradição de recordes

A ideia a partir de agora é transformar em uma tradição a produção de doces cada vez maiores. “Todo ano, na temporada de julho, queremos fazer peças grandes que quebrem nosso próprio recorde”, afirma.

Os doces são vendidos à granel e o quilo é R$ 39,90. A peça de 551 quilos começou a ser vendida na última quarta-feira e até esta sexta (24) 150 quilos já haviam sido comprados. Pelo costume da loja, o doce será completamente consumido em pouco mais de dez dias. “Normalmente vendemos de 400 a 500 kg de doce de abóbora por semana”, salienta.