Apesar da redução da maior parte dos crimes violentos em Minas Gerais no primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2014, o aumento da quantidade de roubos fez aumentar a violência no Estado. A cada hora, pelo menos 12 pessoas, em média, são vítimas deste tipo de crime em Minas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (21), pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds).
 
No primeiro semestre deste ano, foram cometidos 61.120 crimes violentos em Minas. Já entre janeiro e junho de 2014, os registros somaram 54.168, o que representa um aumento de 12,8% na comparação entre os dois períodos.
 
Os crimes violentos são divididos em nove tipos: homicídio consumado, homicídio tentado, estupro consumado, estupro tentado, estupro de vulnerável consumado, estupro de vulnerável tentado, roubo consumado, extorsão mediante sequestro e sequestro e cárcere privado.
 
Os roubos representam a maior parte dos crimes violentos no Estado. Foram registrados54.255 casos entre janeiro e junho de 2015, contra 46.311 no primeiro semestre do ano passado. O crescimento foi de 17,15%. O balanço não apresenta a justificativa para o aumento. 
 
Confira os números na tabela abaixo:
tabela crimes violentos
Crimes violentos
 
Conforme os dados da Seds, nos primeiros seis meses de 2015, Minas Gerais somou 1.985 registros de homicídios consumados, 11,19% a menos do que os 2.235 do mesmo período de 2014. Também houve decréscimo nos homicídios tentados, que somaram 2.537 casos, contra 3.020 no primeiro semestre de 2014. Os registros de estupros consumados de vulneráveis recuaram 10,93%, de 1.235 para 1.100. Já os estupros tentados de vulneráveis caíram de 127 para 110. Os estupros consumados recuaram 2,21%, de 725 para 709. Os estupros tentados tiveram declínio mais forte, de 260 para 219 (15,77%).
 
Também houve redução dos registros de extorsão mediante sequestro, de 60 para 42, 30%; e de sequestro e cárcere privado, de 195 para 163, 16,41%.
 
Outras naturezas
 
Fora do grupo dos nove crimes violentos, os registros de extorsões consumadas caíram 23,16% em Minas Gerais, de 1.425 para 1.095, e os de crime consumado de lesão corporal recuaram 12,87%, de 39.074 para 34.046. Os furtos tiveram leve queda, de 1,77%, de 155.869 para 153.013.
 
Belo Horizonte
 
A capital do Estado manteve a tendência em 2015 de expressivo declínio dos registros de homicídios consumados e tentados. Os consumados tiveram redução de 29,14%, de 429 para 304.
 
A redução proporcionalmente mais acentuada em Belo Horizonte dos registros de homicídios consumados em relação à média do Estado fez com que a participação da capital na soma dos registros desse tipo de crime recuasse de 19,11%, no primeiro semestre de 2014, para 10,27%, em igual período de 2015. Na mesma base de comparação, os homicídios tentados caíram 17,29%, de 428 para 354.
 
Quanto aos roubos em BH, entre janeiro e junho de 2015 também acompanhou o movimento de Minas Gerais, crescendo de 17.362 para 19.913 registros, um crescimento de 14,6%. 
 
Este tipo de crime cometido na capital representa 37,4% dos registros de roubos praticados em todo o Estado. No primeiro semestre do ano passado era 36,7%.
 
Região Metropolitana
 
Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, capital incluída, os registros de homicídios consumados tiveram redução de 18,88%, de 1.017 no primeiro semestre de 2014 para 825 no mesmo período de 2015. Os casos de homicídios tentados recuaram 14,58%, de 1.070 para 914.
 
Na RMBH, a curva dos roubos consumados também foi ascendente no primeiro semestre de 2015. Os registros desse tipo de crime cresceram 20,16%, de 28.072 no mesmo período do ano passado para 33.732 de janeiro a junho de 2015.
 
Principais municípios
 
Entre os municípios mais populosos de Minas Gerais, ocorreram quedas expressivas nos registros de homicídios consumados na comparação entre os primeiros semestres de 2014 e de 2015. Destacaram-se Governador Valadares (Vale do Rio Doce), com -43,04%, Santa Luzia (RMBH), com -34,88%, Nova Serrana (Oeste), com -29,41%, Uberlândia (Triângulo), com -23,88%, Contagem (RMBH), com -23,40%, Sete Lagoas (Central), com -23,08%, Divinópolis (Oeste), com -16,67% e Juiz de Fora, com -13,43%. Como destaque negativo, Uberaba teve aumento de 14,29% nos registros de homicídios na mesma base de comparação.
 
O aumento dos registros de roubos foi praticamente generalizado nos municípios mais populosos do Estado. Com esse destaque negativo, apareceram Santa Luzia, com alta de +76,76%; Ribeirão das Neves, + 74,53%; Sete Lagoas, + 40,46%; Montes Claros, + 35,69%; Betim, + 29,16%; Contagem, + 20,80%; Ipatinga, + 17,32%;. Juiz de Fora e Divinópolis tiveram altas bem abaixo da média do Estado, de 9,89% e 9,96%, respectivamente. Os destaques positivos foram ocupados por Uberlândia, com queda de -25,99%, e Uberaba, - 5,28%.