O solar do Barão do Suaçuí, um casarão histórico e tombado em Conselheiro Lafaiete, na região Central de Minas Gerais, foi restaurado e reabearto. A solenidade foi realizada no último fim de semana. A iniciativa foi possível graças a um acordo entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a MRS Logística.
 
O imóvel, uma das primeiras edificações erguidas no antigo arraial Campo Alegre dos Carijós, foi residência do inconfidente padre Fajardo e agora abriga o Centro Cultural Solar do Barão do Suaçuí.
 
O centro cultural conta com biblioteca, auditório com capacidade para 120 pessoas e duas salas de exposição, destinadas à mostra de trabalhos de artistas da cidade. O prédio também possui um jardim e um auditório ao ar livre, além de abrigar o Memorial das Violas de Queluz, com exposição permanente sobre o instrumento que era produzido no município pelas famílias Meirelles e Salgado entre o final do século XIX e o início do século XX.
 
O prédio foi restaurado por meio de projeto financiado pela MRS Logística, com acompanhamento do MPMG, do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) e Prefeitura de Conselheiro Lafaiete. 
 
O promotor de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural da cidade, Glauco Peregrino, participou da assinatura do acordo que possibilitou a restauração do imóvel. “Espero que este seja um espaço para a sociedade de Conselheiro Lafaiete. Para que a comunidade possa se expressar culturalmente e socialmente, para que seja um espaço vivo. Que aqui as pessoas possam manifestar todo o seu pensamento e sua arte em prol da nossa história”, disse. 
 
Uma solenidade e uma programação cultural marcaram a abertura oficial do solar à visitação. Apresentações de dança, música, teatro, poesia e capoeira movimentaram o fim de semana na cidade. Também foram abertas ao público, três exposições: Ave Minas cheia de arte (Adriana Dutra e Mariana Dutra Vieira), Pra que serve isto? (Eli Feliz) e Queluz de Minas (Cidinha Dutra). O solar e as exposições podem ser visitados de segunda a sexta-feira, de 13h às 18h.