As 52 presas mulheres da Penitenciária de Muriaé, na Zona da Mata, serão transferidas dentro de aproximadamente 30 dias para um novo estabelecimento exclusivamente feminino, a 25 quilômetros, no município de Eugenópolis. O objetivo é acabar com o esquema misto no presídio que tem a capacidade para 34 presas na ala feminina e enfrenta ainda superlotação.

Enquanto é aguardada a reforma na carceragem do presídio de Eugenópolis para abrigar um total de 60 detentas, os atuais presos, 31, serão transferidos nesta quinta-feira (25) para a Penitenciária de Muriaé.

O prédio que abrigará o presídio feminino de Eugenópolis passará por obras hidráulicas, de alvenaria e pintura, executadas por 20 detentos da Penitenciária de Muriaé. “Temos presos capacitados para o trabalho nas mais diversas áreas da construção civil, inclusive com reformas realizadas dentro da penitenciária”, relata o diretor-geral da Penitenciária de Muriaé, Francisco Alves da Silva Neto.

Além das reformas, está prevista a construção de uma sala de aula, enfermaria, a criação de uma horta e oficina de trabalho na área de confecção, já que na cidade existem várias empresas do ramo.