A Defensoria Publica de Minas Gerais ajuizou nesta segunda-feira (22), no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), um pedido de medida cautelar em caráter de liminar, solicitando o impedimento de qualquer possibilidade de reajuste nas tarifas de transporte público de Belo Horizonte.
 
A medida, que teve como iniciativa o movimento Tarifa Zero, pede ainda acesso ao estudo entregue pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de BH (SetraBH) à BHTrans. O objetivo é comprovar a afirmação das empresas de ônibus de que operacionalidade do sistema está no vermelho.
 
A Defensoria solicitou também ter acesso ao estudo e avalia que a revisão de contrato não pode correr mediante o reajuste salarial dos rodoviários ou mesmo com a justificativa do pagamento da participação dos lucros.
 
A possibilidade de aumento surgiu após a greve dos trabalhadores rodoviários, prejudicanto milhares de pessoas. A paralisação foi realizado devido ao não pagamento de direitos trabalhistas prometidos pelas empresas à categoria. O Setra informou que as concessionárias não tem como pagar com o valor, pois opera no vermelho e enviou um relatório, pedindo um o subsídio do sistema ou aumento das tarifas.