A greve dos motoristas rodoviários de Belo Horizonte e região irá continuar por tempo indeterminado, segundo o diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (STTR), Denilson Dornelas. As paralisações nas estações Diamante e Venda Nova começaram às 00h desta segunda-feira (8) e até 1h30, incluia também a estação Barreiro. O motivo é um desacordo entre a categoria e as empresas de transporte. Estava previsto o pagamento de participação nos lucros e resultados na sexta-feira (5), mas o repasse nao foi feito. "Iremos continuar ate eles cumprirem. Hoje, é aqui e em Venda Nova. Amanhã pode ser na Área central ou até parar tudo", disse Denilson.

Na estação Diamante, os ônibus chegam a entrar para que passageiros desçam, mas nenhum parte do local. Os passageiros continuam na esperança de que alguns coletivos voltem a rodar. Esse é o caso do motorista Carlos Roberto Martinho, de 44 anos, que trabalha no Belvedere. "Será que não vai voltar a rodar? Se não voltar, não tem opção. Tem que voltar pra casa".

Elaine Santos, de 32 anos, que trabalha em um escritório de advocacia na Savassi, também ficou sem condições de chegar ao trabalho por causa da paralisação. "Eu fui surpreendida. O ônibus chegou, deixou o pessoal e foi embora. Estou esperando mais um pouco pra avisar no trabalho".

Estação Venda NovaEm Venda Nova, mesmo com os portões abertos, a estação se encontra completamente vazia e o Move da linha 64 está fazendo o embarque e desembarque do lado de fora. Alguns poucos ônibus da linha 62 estão partindo de dentro da estação.

Como na estaçao Diamante, os usuários de Venda Nova também foram pegos de surpresa. Muitos vieram de outras regiões e ao chegar na estação se depararam com a paralisação. A diarista Ilda Pereira Cardoso, de 58 anos, não encontrou coletivos que a levasse até o trabalho no bairro Santa Amélia. "Cheguei e não tinha ônibus. Estou perdida aqui", disse Ilda que aguarda uma carona para chegar ao serviço.

A doméstica Maria Eva Chavier da Silva, 58 anos, lamenta a possibilidade de perder o voo para Uberlândia marcada para 12 horas no aeroporto de Confins. "Pretendia pegar um ônibus para a rodoviária, para de lá seguir com o conexão aeroporto. Agora não sei o que fazer."

Apesar das reclamações sobre a falta de um aviso prévio, Dornelas disse que desde sexta-feira a paralisação estava prevista e diversos alertas teriam sido divulgados.

O diretor de comunicação do STTR, Carlos Henrique, explicou que um acordo acertado em março com a categoria, prometia uma Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 347,52 para quem recebe acima de R$ 1 mil e R$ 173,76 para quem tem um salário abaixo desse valor. "No dia 3 os patrões comunicaram ao sindicato a impossibilidade de efetuar o pagamento alegando não ter condições financeirar de cumprir esses valores. Agora estamos aguardando uma posição deles", informou.

De acordo com a BHtrans, a Estação Vilarinho funciona normalmente e a Pampulha opera parcialmente. Na Estação São Gabriel, as linhas 82 e 85 estão funcionando de forma parcial e as estações Barreiro e Diamante estão operando somente com as linhas do DER.

Ainda segundo a Empresa de Transportes e Trânsitos de BH, nas estações, há presença da Polícia Militar, agentes da BHTrans e Guarda Municipal, que orientam os usuários e monitoram as estações e o trânsito.

Confira aqui as linhas que estão paradas

30 - 32 - 35 - 61 - 62 - 63 - 85 - 302 - 303 - 304 - 308 - 309 - 310 - 313 - 314 - 315 - 318 - 319 - 325 - 326 - 327 - 335 - 336 - 607 - 615 - 617 - 634 - 642 - 644 - 1404A - 1404B - 1950 - 2033 - 3050 - 3053 - 3055 - 3074 - 3570 - 9204

* Com informações de Cristina Barroca