Centenas de pessoas participam de uma passeata na tarde desta segunda-feira (18), pelo Centro de Belo Horizonte. O grupo protesta pelo Dia Nacional da Luta Antimanicomial,
 
Segundo a BHTrans, a passeata partiu da Praça da Liberdade, no bairro Funcionários. O trajeto passa pelas avenidas João Pinheiro e Álvares Cabral, ruas Espírito Santo e dos Tupinambás, até chegar à Praça da Estação.
 
Com faixas, fantasias e carros do som, o grupo é formado por trabalhadores, usuários e familiares dos serviços em saúde mental, além de representantes de movimentos sociais, culturais e outras organizações da sociedade civil. Eles pedem o fim de manicômios, do preconceito e discriminação contra portadores de deficiências mentais.
 
Neste ano, o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, homenagea o psiquiatra italiano Franco Basaglia, que no final da década de 1970 veio ao Brasil e a Minas Gerais, inaugurando um diálogo que viria a resultar na “Reforma Psiquiátrica”.
 
A Polícia Militar, Guarda Municipal e a BHTrans acompanham a passeata pelo Centro, que fecha algumas vias do Centro. Há reflexos para o trânsito.
 
Histórico 
 
O Dia Nacional da Luta Antimanicomial foi instituído após profissionais da saúde mental, cansados do tratamento desumano e cruel dado a usuários do sistema de saúde mental, organizarem o primeiro manifesto público a favor da extinção dos manicômios, durante o II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental, realizado em 1987, na cidade de Bauru/SP. Naquela manifestação, nasceu o Movimento Antimanicomial.