A cidade histórica de Congonhas, na região Central de Minas Gerais, sedia a partir do próximo domingo (17) uma vasta programação cultural para comemorar  os 30 anos do título de “Patrimônio Mundial”, conferido em 1985, pela Unesco, ao Santuário de Bom Jesus de Matosinhos.

O conjunto histórico de Congonhas, construído na segunda metade do século 18, é singular por reunir, em um só lugar, uma igreja em estilo rococó, além da obra-prima de Aleijadinho: os 12 profetas e as 64 estátuas com a representação dos Passos da Paixão de Cristo.

Exposições, palestras, debates, festivais, inaugurações de espaços culturais, ações de reconceituação do sítio histórico e programas de educação patrimonial integram a agenda festiva ao longo do ano. Um dos pontos altos da comemoração dos 30 anos do título de Patrimônio Mundial será a inauguração da nova sinalização interpretativa do sítio histórico em frente ao Santuário de Bom Jesus de Matosinhos.

Sinalização

Congonhas será a primeira cidade brasileira a implantar o projeto, desenvolvido pela Prefeitura municipal e financiado pelo Ministério do Turismo, com base no manual “Sinalização do Patrimônio Mundial no Brasil – Orientações Técnicas para Aplicação”, que foi criado pelo Iphan em parceria com a Unesco, com o objetivo de promover a visibilidade e valorizar os sítios culturais, naturais e mistos existentes no país.

Ainda acontecerá o lançamento de duas exposições: “Patrimônio Mundial”, destacando os 19 sítios culturais e naturais brasileiros e, ainda, a mostra “Imagens nos Passos”, com ensaios fotográficos sobre as tradições e os cartões-postais de Congonhas.

Serviço - "Congonhas: 30 anos de Patrimônio Mundial"
Espaço Cultural da Romaria
Dia 17 de maio, a partir das 9h
Programação gratuita

*Com Agência Minas