Apesar da redução de praticamente todos os crimes violentos em Minas Gerais na comparação entre o primeiro quadrimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, o número de roubos cresceu 12,9%. Em função do aumento desta modalidade, o total da violência também subiu no período em 8,9%. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (14), pela Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS).
 
No balanço de todos os crimes violentos somados, no período em questão de 2014 foram 36.602. Já neste ano foram 39.878.
 
Conforme o balanço, foram 31.091 roubos consumados registrados em todas as cidades mineiras nos primeiros quatro meses de 2014. Já no mesmo período de 2015 foram 35.105. A modalidade se revela um desafio para as forças de segurança de Minas. As estatísticas serão disponibilizadas mensalmente no Portal Números
 
Segundo a Seds, o roubo é classificado como o maior desafio de 2015, pela a cúpula da segurança pública estadual, para a redução das estatísticas de violência de Minas. Conforme o Estado, o crescimento de 12,91% dos roubos nos municípios mineiros entre janeiro e abril de 2015 indica uma desaceleração deste tipo de ocorrência no Estado. Na comparação do primeiro quadrimestre de 2013 com 2014, por exemplo, o aumento das estatísticas de roubo era de 28,6%.
 
 
Redução em outras modalidades
 
Todos os crimes violentos praticados contra a pessoa, com exceção do roubo, tiveram queda no primeiro quadrimestre deste ano em Minas. O Estado registrou 1.385 ocorrências de homicídio consumado nos quatro primeiros meses deste ano, contra 1.550 no mesmo período do ano passado. Vale ressaltar ainda que 660 cidades, ou seja, 77,37% do total de municípios de Minas Gerais não registraram este tipo de crime ou conseguiram reduzir ou manter as ocorrências computadas entre janeiro e abril de 2015.
 
Na avaliação dos homicídios tentados, a queda foi de 15,47% em todo o Estado, o que significa a redução das ocorrências de 2.152 para 1.819, na comparação janeiro a abril de 2014 com 2015.
 
A diminuição chega a 40,48%, nos registros de extorsão mediante sequestro. As ocorrências de homicídio, indicador internacional de violência, também caíram  17,80% na Região Metropolitana, 10,65% em Minas Gerais e 28,87% na capital no quadrimestre.
 
Belo Horizonte acumula outros percentuais de redução expressivos, com destaques para a queda dos estupros de vulneráveis (32,71%), estupros em geral (17,24%), e extorsões mediante sequestro (50%).
 
Os registros de estupros, tentados e consumados, também tiveram reduções de mais de duas casas decimais. Em Belo Horizonte, o estupro consumado caiu 17,24%, com as ocorrências diminuídas de 203 para 168. A capital também tem a maior queda de estupros tentados, na faixa de 17,74% como mostra a tabela abaixo. Os dados de estupro já englobam as ocorrências de estupro de vulnerável. Separadamente, os estupros de vulnerável consumados caíram 15,73% em Minas e 27,27% em BH e os estupros de vulnerável tentados, 14,44% no Estado e 32,71% na capital.
 
Os dados de extorsão mediante sequestro caíram em Minas, Belo Horizonte e na Região Metropolitana em percentuais que chegam a 50%. Na capital, a diminuição dos registros foi de 18 para 9 no primeiro quadrimestre deste ano. Na Região Metropolitana, os números baixaram de 33 para 20 (39,39%) e, no Estado, reduziram de 42 para 25 ocorrências (40,48%). Entre os 853 municípios, 845 (99,06%) não computaram esse tipo de crime ou tiveram queda/manutenção dos registros na comparação janeiro a abril de 2014 com 2015.
 
As ocorrências de sequestro e cárcere privado também reduziram no Estado e na Região Metropolitana. Em Minas, a baixa foi de 20,69%, com registros diminuindo de 145 para 115. Também deve ser ressaltado o fato de 806 cidades (94,49%) terem conseguido reduzir ou manter e até mesmo não registrar ocorrências de sequestros e cárceres privados. Na Região Metropolitana, a queda deste crime foi de 9,68%.
 

 
Dados inéditos
 
Depois de divulgar pela primeira vez, em abril, os dados de estupros de vulneráveis em Minas Gerais, a Secretaria de Defesa Social (Seds), agora incorporou ao balanço das ocorrências de furto, lesão corporal e extorsão consumados.
 
Os números mostram queda nas ocorrências de furto consumado (-3,96%), lesão corporal consumada (-11,17%) e extorsão (-26,64%) em Minas Gerais no primeiro quadrimestre de 2015, em relação a igual período de 2014.
 

(* Com Agência Minas)