Mãe de menina de dois anos que foi espancada até a morte pelo padrasto, foi presa suspeita de participar do homicídio da própria filha, em Juiz de Fora, na Zona da Mata. De acordo com a Polícia Civil (PC), não houve possibilidade de reação da criança, sendo constatado comportamento omisso e desleixado por parte da mãe, Franciele da Silva Gabriel, 25 anos. Ainda de acordo com as investigações, a mulher entrou em contradição em vários momentos, durante o depoimento.

Primeiro, ela teria relatado à polícia que teve medo do companheiro e por isso não reagiu. No entanto, ela foi desmentida por familiares, que descreveram a relação de Franciele com a filha como sendo "descuidada". Franciele foi conduzida para a penitenciária Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires.

Leonardo já tem passagens pela polícia por violência doméstica e agressão. O pai biológico da criança ainda deve ser ouvido pelo delegado responsável pelo caso, Rodrigo Rolli, da Delegacia Especializada de Homicídios de Juiz de Fora.

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, a mãe e o padrasto, Leonardo José Tomóteo Otaviano, levaram a menina já morta até uma unidade de saúde da cidade na última quarta-feira (6). A Polícia Militar registrou o caso apenas como encontro de cadáver. No entanto, no Instituto Médico Legal (IML), o legista identificou que a causa da morte foi violenta, uma vez que vários hematomas e lesões estavam presentes por todo o corpo.
 
Policiais da Delegacia de Homicídios de Juiz de Fora iniciaram as diligências e encontraram o casal na manhã dessa quinta-feira (7). Eles foram ouvidos na unidade policial e Leonardo José confessou ter espancado a criança até a morte e foi encaminhado para o Cerespe da cidade.

* Com informações de Danilo Emerich