Cerca de cinco mil pessoas participaram da oitava edição do abraço simbólico da Serra da Moeda, na Grande BH, na manhã desta terça-feira (21). Neste ano, o evento teve como mote principal a crise hídrica que afeta Minas Gerais.
 
De acordo com a vice-presidente da Organização não Governamental (ONG) Abrace a Serra, Ana Amélia Lage Martins, além de lutar pela preservação do espaço, o encontro de outras entidades defensoras da água e do meio ambiente tinha o propósito de chamar a atenção da população e das autoridades sobre a importância de cuidar dos recursos naturais.
 
"A água tem sido negligenciada pelo poder público e pelas instâncias de regulação. Então, nós, mais uma vez, destacamos a necessidade da mobilização política para reverter esse quadro, para que a gente consiga preservar. A nossa tônica 'o abraço de hoje garante as águas de amanhã' é nesse sentido, de que é importante uma mobilização política", disse Ana Amélia.
 
Proteção
 
A exemplo dos anos anteriores, um grande cordão humano foi formado no alto da serra, durante cerca de 30 minutos. Além da ONG organizadora do evento, a Abrace a Serra, representantes de outros grupos, como o do Gandarela, Movimento pelas Serras e Águas e Projeto Manuelzão, participaram do abraço.
 
"Nós pedimos a proteção desse patrimônio hídrico natural e histórico aqui da Serra da Moeda, que está tão ameaçado", finalizou Ana Amélia.