O promotor Marcus Vinícius Ribeiro Cunha, que sofreu uma tentativa de homicídio no último dia 21 de fevereiro foi ouvido nesta sexta-feira (27), pelo delegado Wilton José Fernandes, em Monte Carmelo, na região do Alto Paranaíba.
 
Segundo a Polícia Civil, o conteúdo e os detalhes do depoimento não foram reveleados pelo delegado. A oitiva foi realizada em Uberlândia, onde o promotor ainda se recupera. 
 
A corporação informou que já estão presos o ex-presidente da Câmara Municipal de Monte Carmelo, Valdelei José de Oliveira, e o filho, Juliano Aparecido de Oliveira, que confessou ter atirado no promotor. 
 
Segundo José Wilton, que trabalha no caso em conjunto com a delegada Cláudia Coelho Franchi, as informações prestadas por Marcus Vinícius não alteram o rumo das investigações, mas são de fundamental importância para conclusão do inquérito, que deverá ser enviado à Justiça na próxima semana. 
 
O crime
 
O promotor de Justiça Marcus Vinícius Ribeiro foi alvo de atentado na noite do último sábado (21) em Monte Carmelo. Ele deixava a promotoria, por volta das 20h30, quando foi baleado por um motociclista. 
 
Após a tentativa de homicídio, uma força-tarefa envolvendo vários órgãos de segurança foi montada e dois suspeitos presos. Segundo a Polícia Civil, o crime teria sido planejado pelo ex-vereador e ex-presidente da Câmara Valdelei José de Oliveira, e executado por Juliano Aparecido de Oliveira, filho do ex-parlamentar, que teria confessado a tentativa de assassinato.
 
A motivação do crime, segundo a polícia, seria por vingança, uma vez que o promotor denunciou Valdelei por fraudes em licitações e contratos públicos. Em decorrência das acusações, o político teve o mandato cassado em 2014.