O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra BH) informou, nesta terça-feira (24), que vários problemas foram encontrados nas portas das estações do BRT Move. Desde 1º de janeiro, técnicos do sindicato realizam a manutenção das portas das estações. Além disso, até o momento, cerca de 30% dos 300 monitores de 46 polegadas das estações foram quebrados por vândalos.
 
Segundo o Setra BH, a substituição dos monitores ainda não foi feita, pois é aguardada a definição sobre o reforço da segurança nas estações. Nessa segunda-feira (23), a prefeitura informou que estuda colocar policiais militares reformados para fazer a segurança nos locais. O Executivo pretende arcar com o pagamento de um adicional aos policias, mas o valor não foi divulgado.
 
Já a BHTrans disse que uma das quatro escadas rolantes da estação Pampulha apresentou defeito nessa segunda-feira. Segundo a empresa, no mesmo dia, a empresa responsável pela manutenção foi acionada para tomar as medidas cabíveis.
 
Portas
 
Em relação às portas, 41,6%, isto é, aproximadamente 200, de um toral de 480, estavam com defeitos. De acordo com o Setra BH, além da recolocação das portas defeituosas, o sistema está passando por readequações técnicas, inclusive por alterações de projeto para solucionar o problema em definitivo. 
 
Um dos problemas constatados diz respeito à localização de botoeira utilizada para a abertura e fechamento manual das portas, acessível aos usuários. Por fazer parte do sistema de segurança das estações, a sua transferência para local inacessível aos usuários somente poderá ser feita após a instalação do novo sistema de Radio Frequency Identification (RFID) – Identificação por Rádio Frequência – para a abertura e fechamento das portas, já instalado em todos os ônibus do Move e em parte das estações. 
 
Automático, o RFID somente permitirá que as portas das estações sejam acionadas após o acionamento das portas dos ônibus já estacionados. O sistema ainda passará por testes, para assegurar a operacionalidade do equipamento instalado em cada um dos 425 ônibus (234 padron e 191 articulados) e em cada uma das 41 estações.
 
Segundo Setra BH, o trabalho demanda tempo, uma vez que a operacionalidade exige a regulagem de cada sensor de presença para um dos dez modelos de carroceria que passam pelas estações, a ativação dos receptores de RFID das portas e a regulagem dos receptores para cada um dos 10 modelos de carroceria.
 
Até a aprovação do RFID, equipes do Consórcio Operacional do Transporte Coletivo de Passageiros por Ônibus do Município de Belo Horizonte – Transfácil – se manterão em revezamento para alertar os funcionários das estações sobre a abertura indevida das portas por usuários através dos equipamentos de monitoramento por vídeo. O quadro funcional também foi reestruturado, com a destinação de pessoal para atividades de controle local de portas e catracas.