MG Transplantes obteve um número recorde de órgãos captados no ano passado. A instituição realizou 2.367 transplantes no Estado no período. Como comparativo, de 2004 para cá, houve um aumento de 30,6% no número de transplantes. 
 
Segundo o coordenador metropolitano do MG Transplantes, Omar Lopes, fatores como o trabalho integrado com as unidades transplantadoras e a constituição de comissões internas nos hospitais para o assunto foram determinantes para o desempenho. 
 
Córnea foi mais transplantado
 
Em 2014, a córnea foi o órgão mais doado (1.416 transplantes), o que corresponde a 60% de todos os transplantes feitos no último ano. Na sequência, estão os rins (24,6%) e o fígado (3,9%). 
 
Apesar disso, a fila de espera para um transplante de rins ainda é a maior, atualmente com 2.542 pessoas. Já a fila de espera por uma córnea continua zerada pelo segundo ano consecutivo em Minas. Em 2014, as negativas familiares representaram 39% das causas de Não Efetivação da Doação em Morte Encefálica.