Cento e cinquenta e três municípios do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Macro Região do Sul de Minas (Cissul) começam a contar, a partir deste sábado (31), com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192) da Macro Sul.  A expectativa é que o Samu, que custou R$ 7,8 milhões aos cofres estaduais, beneficie cerca de 2,7 milhões de pessoas. O custeio mensal do serviço será rateado entre a União, o Estado e os municípios.
 
O complexo está localizado em Varginha, no prédio da Central Operativa de Regulação, no bairro Boa Vista. O serviço começa a funcionar a partir das 7h deste sábado (31). Ao todo, 619 profissionais trabalharão no Samu Macro Sul, sendo 67 médicos, 68 enfermeiros, 202 técnicos em enfermagem, além de condutores dos veículos, farmacêuticos e trabalhadores administrativos.
 
Com o Samu Macro Sul, 475 dos 853 municípios mineiros terão acesso ao serviço, o equivalente a 55,69% de cobertura, atendendo cerca de oito milhões dos 20,7 milhões habitantes do Estado (38,91% de cobertura).
 
Ambulâncias
 
Além do serviço, foram distribuídas 43 ambulâncias para 34 municípios da região.  Nove são de Unidades Suporte Avançado (USA – UTI móvel). As demais são Unidades de Suporte Básico (USB). A USB é utilizada em casos de urgência, quando é preciso o pronto atendimento, mas não há risco de morte iminente. O resgate é feito por um condutor-socorrista e um técnico de enfermagem. Já a USA é acionada quando é necessária intervenção médica imediata. Nesses casos, o resgate é feito por um condutor-socorrista, um médico e um enfermeiro.
 
O governador Fernando Pimentel e o ministro da Saúde, Arthur Chioro, participaram da solenidade ocorrida nesta sexta-feira (30).