A polícia está à procura de um homem que matou a mulher e os dois enteados a golpes de faca e enxada em Carangola, na Zona da Mata de Minas Gerais. A esposa tinha 43 anos e os jovens tinham 18 e 22 anos, sendo a mais velha uma cadeirante. Os corpos foram descobertos na manhã desta segunda-feira (24) depois que vizinhos chamaram a Polícia Militar (PM). Todos foram mortos, possivelmente, após uma discussão na madrugada desse domingo (23).
 
O suspeito do triplo homicídio é José Lopes de Araújo, de 54 anos, que fugiu da cidade após o crime. Segundo a PM, ele foi visto pela última vez abastecendo o carro, um Gol branco modelo antigo, em um posto de combustíveis de Carangola por volta das 3 horas desse domingo. Vizinhos contaram que pouco antes ouviram uma discussão vinda da casa, que fica na rua Faria Lemos, bairro Ouro Verde.
 
Nesta segunda, depois de chamar pela mulher do suspeito, Maria da Penha Amorim, e não ser atendida, uma vizinha acionou a PM. Os corpos estavam dilacerados, com a maioria dos golpes no pescoço e cabeça e foram encontrados em locais diferentes. Claudimar Amorim Mendes, de 18 anos, estava aos pés da cama da irmã Ana Cláudia Amorim, de 22 anos, que morreu deitada; a mãe foi encontrada no chão do quarto do casal.
 
Não foram encontrados sinais de luta e isso intriga a polícia. Segundo inspetor Marcos Silva, informações preliminares apontam que a motivação foi o ciúme exagerado que José Lopes tinha da mulher. A família morava em Eugenópolis e teria se mudado para Carangola há cinco meses, era evangélica e, segundo vizinhos, vivia enclausurada. “Saíam pouco de casa. O rapaz só para o trabalho”, conta Silva.
 
As investigações são chefiadas pelo delegado de Homicídios Glauco Seguro, que estava em diligência nesta tarde e não foi encontrado para falar sobre o crime. Informações preliminares apontam que o suspeito esteja escondido em Governador Valadares, onde tem filhos, e a expectativa é que a divulgação da sua foto ajude a polícia a localizá-lo. Carangola fica a 76 kms de Manhuaçu e a 60 kms de Eugenópolis.