Em meio a dureza do tratamento contra o câncer, crianças que passam por essa situação tiveram neste domingo (23) a oportunidade de se divertir e esquecer um pouco da rotina hospitalar. Durante um evento realizado para elas em uma churrascaria da região Centro-Sul de Belo Horizonte, as opções de diversão eram variadas: pula-pula, piscina de bolinhas, oficina de pintura facial, espaço para vídeo game e totó.

A festa ‘Claro que é do Bem’, foi organizada por uma empresa de telefonia da capital e teve o objetivo de celebrar o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil. “O objetivo é fazer com que essas crianças se esqueçam por um momento do tratamento”, explicou o gerente de marketing da Claro e um dos coordenadores do projeto, Gabriel Guimarães.

Um dos destaques foi a oficina de lenços e bonés, onde. Lá, os pequenos participantes decoravam e personalizavam os acessórios. A intenção era fazer com que as crianças que fazem quimioterapia e perdem o cabelo tenham uma opção divertida para esconder a carequinha, caso queiram.

A pequena Geovanna Ramos, de 4 anos, fez o tratamento, mas o cabelo já cresceu. Ainda assim, ela participou da oficina ao lado da mãe, Luana Ramos, 31. “Ela está amando. Crianças com câncer passam por momentos difíceis e festas assim são muito boas”, afirmou.

Laura Felícia, 5, luta contra um tumor no rim. Animada, a mocinha não queria sair do brinquedo. “Amei a piscina de bolinhas”, resumiu.

Dia inesquecível

A técnica de enfermagem Thaís Silva, 28, mãe de Ana Júlia, de 2 anos e 8 meses, conta que foi a primeira vez que a filha saiu de casa, após ter alta hospitalar há três meses. “Pelas reações dela, vejo que está adorando”, disse. Ana faz tratamento de um câncer no cérebro.

Os cerca de 500 participantes da festa eram crianças de instituições de apoio e/ou tratamento do câncer da capital, e seus acompanhantes.
Para a superintendente social da Fundação Sara, Heliane Vasconcellos, a festa foi uma chance de as crianças aproveitarem mais a infância. “Elas saem da rotina do tratamento e daquele ambiente pesado de hospital para serem crianças”, salientou. Além das programações, três shows e apresentação de personagens infantis animaram a plateia.

A pedagoga Mara Alves escreve a própria experiência com o câncer no blog “sobre viver”. Ela esteve presente na festa e, muito empolgada, destacou a importância de crianças em tratamento vivenciarem essa experiência. “É um dia para ser lembrando e vivio com alegria. O tratamento é muito agressivo e a criança precisa dessa pausa”, garantiu.

O evento teve o apoio do Grupo Bel, do qual fazem parte o jornal e portal do Hoje em Dia, e as Rádios 98 FM e 102,9 FM.

Diagnóstico precoce

De acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 12 mil casos de câncer vão surgir em crianças e adolescentes até o final deste ano. No entanto, se a doença diagnostica na fase inicial, o paciente tem mais chances de cura.

 

Confira galeria de fotos do evento:

Fotos: Wesley Rodrigues/ Hoje em Dia