Após forte chuva de granizo que atingiu Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta terça-feira (28), deixando cerca de 50 famílias desabrigadas, moradores da cidade estão revoltados e alegam que a prefeitura não tem feito a limpeza das ruas da cidade.

Muita lama, móveis, e vários outros pertences de moradores atingidos pela água, estão espalhados pelas ruas. O entulho dificulta a mobilidade e coloca a população em risco de doenças.

"Não temos previsão para acabar a limpeza, mas ela está sendo feita. É muita coisa. São toneladas de entulho e o trabalho precisa ser bem feito", afirmou o Tenente Marcelo.

De acordo com a Defesa Civil o processo é lento. "É preciso fazer a limpeza completa dando prioridade para as casas que não estavam em condições de abrigar e desbloqueio das vias públicas", completou o tenente.

De 50 famílias que ficaram desabrigadas, cinco estão sem condições de retornar à suas casas. Outras 45 tiveram suas residências limpas e liberadas.

Uma escola e uma creche, localizadas no bairro General Carneiro, tiveram maiores danos e foram interditadas. De acordo com a Defesa Civil, o telhado do ginásio da Escola Estadual Juquinha de Almeida desabou depois de ser atingido pelo granizo. Próximo à escola, o muro de uma creche também caiu e as crianças foram retiradas pelos professores para um local seguro.

Segundo os bombeiros, na rua Serafim Motta Barros, no bairro Santo Antônio de Roça Grande, casas foram inundadas e veículos foram arrastados. O Corpo de Bombeiros afirmou também que há ainda várias solicitações para cortes de árvores caídas em vias públicas, muros, telhados de casas e fiações elétricas no município.

O Corpo de Bombeiros informou que não há confirmação de feridos.