O incêndio que atingiu a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), pertencente ao Instituto Inhotim, em Brumadinho, na região Metropolitana de Belo Horizonte, foi controlado após quatro dias. De acordo com o Corpo dos Bombeiros, os trabalhos mais intensos foram encerrados na manhã desta quinta-feira (18). As chamas começaram ainda na tarde dessa segunda-feira (15), mas os militares apenas chegaram ao local na quarta-feira (17). 
 
Conforme os bombeiros, após um sobrevoo foi constatado apenas um foco de incêndio próximo ao reservatório do sistema rio Manso da Copasa. Sete militares da corporação ficaram de prontidão no local até o fim dos trabalhos apoiados por um caminhão com bomba d'água e um helicóptero. 
 
O incêndio não atingiu a área de visitação do museu, que funciona normalmente.
 
Serra da Moeda
 
O incêndio que atinge a Serra da Moeda, desde essa terça-feira (16), segue descontrolado. Vinte e dois militares dos bombeiros e dois helicópteros estão empenhados para controlar o fogo. Dois focos foram registrados na manhã desta quinta-feira (18), um no Corrégo da Alma e outro próximo a Fazenda Ponte Alta, em Brumadinho, região Metropolitana de Belo Horizonte. 
 
Conforme a corporação, um dos focos de incêndio está localizado em uma área de difícil acesso, por isso, as chamas ainda não forma controladas. Os militares foram divididos em duas equipes para realização do combate ao fogo.
 
Na quarta-feira (17), cinco homens foram detidos suspeitos de ter provocado o incêndio na Serra da Moeda. A Polícia Civil informou que eles foram contratados por um hotel da região para fazer a limpeza da área. Como não tinha autorização para a queimada, foram conduzidos até a Delegacia de Belo Vale, região Central de Minas. Como não foram pegos em flagrante, a prisão não foi efetuada.