As 117 famílias que residem num raio de 50 metros da alça norte do Viaduto Batalha do Guararapes, que será implodido no próximo domingo (14), receberam orientações sobre o plano de ação para remoção e hospedagem. Na tarde desta quarta-feira (10), a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) detalhou como será feita a segurança dos moradores.
 
No total, conforme o órgão, 296 pessoas, sendo 56 crianças, terão que deixar os edifícios Antares e Savana no sábado (9), um dia antes da implosão. O retorno só será permitido 8 dias depois, no domingo (21). Neste período, as famílias ficaram hospedadas no Hotel Soft Inn, no bairro São Cristóvão, região da Pampulha.
 
O translado para o hotel será feito por ônibus contratos pela Cowan, responsável pela obra do viaduto. No sábado, entre 8h30 e 18 horas, diversas viagens, com horários determinados, irão transportar os moradores. Segundo a Comdec, 48 famílias dispensaram a hospedagem e irão ficar na casa de parentes.
 
Também foi garantido direito de transporte para as crianças irem para a escola durante a semana. Já os animais de estimação, contabilizado em 24, serão levados para um hotel PET no bairro Itapõa, também na região da Pampulha.
 
A implosão da alça norte do viaduto, na avenida Pedro I, região Norte de BH, está previsto para ocorrer às 9 horas de domingo.
 
Tráfego
 
A previsão inicial é a de que a avenida Pedro I, interditada no dia 3 de julho por causa da queda de parte do viaduto, seja liberada no dia 21 de setembro. Mas a data depende do início dos trabalhos no próximo domingo. 
 
O acidente
 
O desabamento do viaduto ocorreu no bairro Itapõa, na divisa das regiões da Pampulha e Venda Nova, em Belo Horizonte, em 3 de julho deste ano. Na tragédia, duas pessoas morreram e 23 ficaram feridas. A estrutura caiu atingido um micro-ônibus, um carro e dois caminhões. 
 
 
Matéria atualizada em 10/09/2014, às 16h55.