Líderes de ocupações urbanas de Belo Horizonte e região se reuniram com autoridades do governo na Cidade Administrativa do Governo do Estado, na tarde desta quinta-feira (24). As duas pistas da rodovia MG-010, em frente ao local, foram fechadas por cerca de 350 manifestantes. O trânsito ficou parado e, de acordo com a Polícia Militar, o protesto foi pacífico. O congestionamento no sentido Confins chegou ao viaduto São Benedito, um dos acesso à cidade de Santa Luzia. A pista já foi liberada, após negociação entre a Polícia Militar e os manifestantes.

De acordo com informações do Frei Gilvander Luís Moreira, porta-voz do grupo de lideranças que está reunido com autoridades do governo, a conversa vai buscar discutir alternativas para as famílias de várias ocupações da grande BH. A convivência com as ameaças de despejo, de acordo com Gilvander, têm trazido problemas para os moradores das ocupações e simboliza o que ele chama de "massacre anunciado".

A negociação envolve as ocupações Rosa Leão, Vitória, Esperança, Zilah Spósito/Helena Greco, Dandara, Eliana Silva, Nelson Mandela, Camilo Torres, Irmã Dorothy, Tomás Balduíno, (de Ribeirão das Neves), Guarani Kaiowá e William Rosa (de Contagem).

Participam também da reunião representantes do Governo do Estado, do Ministério das Cidades, da Secretaria Geral da Presidência da República, da Defensoria Pública de Minas Gerais, do Ministério Público de Minas Gerais, Brigadas Populares, Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), Comissão Pastoral da Terra (CPT), além da juíza Luzia Divina Peixoto, da 6ª Vara de Fazenda Pública Municipal.

Região Centro-Sul da capital

Na avenida Brasil, região Centro-sul de Belo Horizonte, manifestantes das brigadas populares fecharam as duas pistas em sinal de protesto. O trânsito ficou parado por alguns minutos, mas foi já foi liberado.


Veja o vídeo da manifestação na avenida Brasil: